Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços, fornecer-lhe um acesso mais rápido aos mesmos e personalizá-los através da análise de seus hábitos de navegação. Ao continuar a navegar, você aceita sua utilização. Para mais informações, consulte nossa política de cookies.

x

STCSTC

A STC é um processo consolidado idealizado pela Aqualogy que contribui para a secagem térmica de lodos e biomassas a baixa temperatura graças a uma tecnologia própria baseada na aplicação de soluções para a utilização da energia residual e da bomba de calor.

A unidade de secagem a baixa temperatura permite reduzir o volume de lodos industriais e urbanas, procedentes de estações de tratamento de águas residuais e de diversos processos industriais, assim como de vários tipos de biomassa, o que facilita o aproveitamento de diversos tipos de energia residual, que pode ser facilmente transportada e utilizada para fins agrícolas ou como combustível alternativo.

Diana Permuy Vila Contactar

O lodo úmido entra na unidade de secagem e é depositado homogeneamente em cima da esteira de secagem através de uma extrusora que facilita o fluxo de ar e a transferência de calor. O sistema admite qualquer fonte de calor que lhe permita funcionar utilizando um circuito de água quente (75/90 °C).

A esteira transporta o lodo pelo interior do túnel fechado, onde o ar circula a 65/80 °C e onde o ar úmido se condensa, extraindo apenas água para o exterior. As esteiras cobrem totalmente o túnel para evitar a geração de pó e eventuais obstruções.

Depois da secagem, o produto resultante é fácil de transportar, ao ter perdido até 70% do seu volume, o que garante um índice de conteúdo seco de 90%.

 

Economia

Funcionamento a baixa temperatura que aproveita ao máximo a energia residual, por exemplo os gases de escape da cogeração ou a água de refrigeração dos motores.


Experiência

Equipe experiente e multidisciplinar que abrange todas as fases do projeto, desde o projeto e a fabricação até a montagem e manutenção. As unidades de secagem são montadas e totalmente testadas na fábrica para reduzir ao mínimo os inconvenientes para o cliente.
Segurança:
Fora da esfera de aplicação da Diretiva ATEX (risco de explosão ou incêndio nulo).
Não gera pó.


Adaptável

A unidade de secagem pode adaptar-se às necessidades de energia de cada cliente. O circuito de água quente a 75/90 °C utilizada no processo pode ser obtida através da utilização de várias fontes de energia, por exemplo, caldeiras de gás natural, motores de cogeração ou tecnologias de bomba de calor.


Sustentabilidade

Redução do impacto ambiental. Limita as emissões de gases de efeito estufa. Graças ao uso de um foco frio e um sistema de ar fechado no interior do túnel, reduz tamanho do sistema de desodorização e a emissão de odores.


Fácil manuseio

Processo de colocação em funcionamento rápido e totalmente automatizado.
Manutenção parcial sem paradas.
Fácil acesso a todo o equipamento.


Compromisso

Possibilidade de contratos de manutenção até 15 anos.
Tecnologia muito eficiente e segura

FÁBRICA DE CIMENTO CEMEX (ALICANTE, ESPANHA)

Instalação para lodos urbanos com capacidade de 60.000 t/ano contém duas unidades de secagem de 3.000 l/h de água evaporada por unidade. O calor necessário para a secagem procede do aproveitamento de água quente (recuperação de energia residual da cimenteira). Instalação concluída em 2011.

Esta instalação situa-se nos terrenos da cimenteira de San Vicente del Raspeig da CEMEX e foi projetado como um centro de tratamento de lodos externos (multigestão) provenientes de diversas estações de tratamento situadas na cidade de Alicante e arredores.
A principal inovação é o calor utilizado para a secagem, que procede da recuperação de calor excedente da cimenteira.

Este conceito permite a economia de uma importante parcela de CO2, pois não utiliza energia primária no processo de secagem. Os lodos secos podem ser destinados à agricultura ou enviado para a própria cimenteira para a valorização energética.

ETE GUADALHORCE (MÁLAGA, ESPANHA)

Instalação para lamas urbanas com uma capacidade de 70 000 t/ano dotada de duas unidades de secagem de 3625 l/h de água evaporada por unidade. O calor necessário para a secagem procede de motores de cogeração (gases de escape + calor do bloco). Instalação concluída em 2007.

As empresas ACCIONA Agua e EMASA deram-nos nesta instalação a oportunidade de aproveitar a máxima capacidade de tratamento por linha (4000 l/h/linha de secagem). A especial situação da estação de tratamento, próxima de um centro comercial, exigiu a construção de um edifício para confinar as instalações, que foi realizado com um elaborado tratamento arquitetônico.


As partes assinaram um contrato de garantia total de 5 anos.

ETE SHANGANAGH (DUBLIN, IRLANDA)

Instalação para lodos digeridos com capacidade de 18.000 t/ano com duas unidades de secagem de 1.500 l/h de água evaporada por unidade. O calor necessário para a secagem procede da água quente utilizada pelos motores de cogeração (gases + refrigeração de motores) + a caldeira de biogás. Instalação concluída em 2012.

O consórcio SDD, formado por Drace Medio Ambiente, Dragados e a construtora irlandesa Sisk, no proporcionou a oportunidade de participar no projeto da estação de tratamento de águas residuais em Shanganagh, que fornece serviço para a área sudeste de Dublin, que faz parte, por sua vez, de um projeto BOT de 25 anos.

Este desafio é um esforço contínuo de melhoria e padronização do nosso sistema, assim como de adaptação a diferentes culturas de trabalho. Graças ao apoio da equipe profissional dos nossos clientes, conseguimos ter sucesso com este trabalho internacional.

 

ETAR SAINT-MARCELLIN (RÓDANO-ALPES, FRANÇA)

Instalação de lodos digeridos com capacidade de 6.000 t/ano contendo uma unidade de secagem de 560 l/h de água evaporada por unidade. O calor necessário para a secagem obtéma partir do aproveitamento da água quente procedente da caldeira de biomassa (madeira). Instalação concluída em 2013.

A empresa Degrémont Service proporcionou neste projeto a oportunidade de criar na França uma instalação monobloco e de incorporar como novidade uma caldeira de biomassa (aparas de madeira) como fonte calorífica para a secagem de lodos.


Os equipamentos monoblocos são uma solução simples e competitiva para o tratamento de lodos industriais e para pequenas estações de tratamento urbanas. A grande vantagem é a possibilidade de entregar o produto pronto para o cliente, o que reduz ao mínimo os tempos de montagem in situ.